Entrevista do Robert para a revista TU

Traduzido/Publicado por Bruna em 10 Oct 2009


 Nós acompanhamos o Festival de Cinema de Cannes quando soubemos que iríamos entrevistar O vampiro. Sim, Robert Pattinson! Depois de um ano bastante agitado, ele teve tempo para andar pelos tapetes vermelhos e aproveitar o glamour do mais famoso Festival de Cinema. Quando nós chegamos ao local em que aconteceria a entrevista, ainda não conseguíamos acreditar que iríamos conversar com ele. Do lado de fora de seu hotel havia milhares de fãs esperando por ele. Ele é o cara do momento e a primeira coisa que nos conta quando o encontramos é que ainda não acredita que isso está acontecendo a ele. De acordo com a nossa conversa, ele se considera um cara normal e jura que tem uma vida bastante entediante. Então no topo de ser incrivelmente bonito, esse cara é adorável e de pés no chão. Como você pode não se apaixonar por ele?

 TU: Robert, como você se sente hoje com tantas garotas ao redor do mundo que sonham com você?

RP: Honestamente, eu acho que é tudo parte da ilusão do cinema. Eu não fiz nada além do normal para ser tão famoso. Tudo veio à tona com esses 5 minutos de emoções que você dá para as pessoas e que é legal de se sentir. É parte da mágica e de tudo que vem de fazer filmes. As expectativas, os sonhos, as fantasias; é tudo uma ilusão. Eu sou um cara muito normal, eu não posso prometer a você aquilo.

TU: Você curte o glamour dessa profissão, andando pelos tapetes vermelhos?

RP: Sim, eu amo viajar pelo mundo afora e estar em um Festival como Cannes. Ter esses cinco minutos de glamour e excitação é maravilhoso, contanto que eu possa ter a minha vida normal novamente. Aqueles são os momentos que você pode apenas fazer filmes e você tem que aproveitá- los. Mas a melhor parte disso é quando você vai para casa (risos).

TU: Qual vem sido a parte mais difícil de ser tão famoso?

RP: Enfrentar multidões. Eu sou muito tímido. O fato de eu ter que andar pelas ruas sabendo que as pessoas irão me reconhecer e gritar meu nome é algo que me deixa um pouco paranóico. Eu não posso estar em lugar algum por mais de 20 minutos, porque com a internet e o modo com as notícias correm rápido, eu sou cercado pelos paparazzi e fãs.

TU: Diga-nos a verdade, ser famoso te ajudou a conquistar mais garotas?

RP: (risos) Sim e não. Primeiramente, as garotas podem se sentir atraídas a aquilo, mas depois percebem que você é um ser humano, com falhas e qualidades, e pode haver um certo desapontamento. Eu acho, que no final, eu sou apenas como qualquer outro cara. Eu não posso ser o que todo mundo quer que eu seja, eu sou apenas eu. E você pode encontrar várias garotas que têm ideias preconcebidas sobre você, ou coisas imaginárias e isso pode ser um problema, porque quando as pessoas descobrem que você não é como aquilo, elas ficam desapontadas. Eu tenho que confessar que antes de fazer esse filme eu acreditava que o ser famoso podia me ajudar a conquistar mais garotas, mas depois eu percebi que não é fácil como eu pensava que fosse. No final, se você gosta de uma garota, você ainda tem que trabalhar duro para ganhá-la! (risos)

TU: Que outras coisas você teve que aprender?

RP: Que eu tenho que ser bastante cuidadoso com o que eu digo e com as informações que eu compartilho. Eu aprendi a não compartilhá-las demais. Mas essa é uma lição de vida que qualquer um pode aprender. Você tem que pensar nas coisas do princípio ao fim antes de abrir a sua boca.

TU: Além de ser um ator, qual é o seu sonho de emprego?

 RP: Ser um pianista. Música me fascina, eu a adoro. É a minha paixão. E eu acho que eu poderia ser muito feliz estando perto de um piano e fazendo uma vida com ele.

TU: Você está consciente que esse momento no qual a sua vida está seguindo irá mudá-la para sempre? Graças a essa saga você conseguirá qualquer papel que você quiser.

 RP: Eu sei, mas algumas vezes eu tento não pensar muito nisso porque me assusta até a morte. Eu sinto que as coisas estão acontecendo tão rápido e eu tenho que constantemente escolher sem ter um tempo para analisar, porque se eu o fizer, eu posso perder a minha chance para fazê-lo. Você não pode ser um ator que pode se dar ao luxo de esperar cinco anos para fazer o seu próximo filme se quiser. Você tem que encontrar o melhor trabalho para você nos próximos meses, caso contrário, a indústria e as pessoas irão se esquecer muito rapidamente de você. Então você faz um compromisso para ficar eficiente e rápido quando você vai escolher o que vem a seguir. Quando você não tem nada a perder, é ótimo, porque você apenas aceita o desafio e tenta fazer funcionar. Mas quando você realmente quer uma carreira longa e construir uma boa imagem, tudo isso se torna uma coisa estressante.

TU: Falando do futuro, o que você gostaria que Lua Nova desse para a sua carreira?

 RP: Eu quero mais do que o filme seja um sucesso, ter mais liberdade para escolher outros projetos que eu queira fazer depois. É por isso que eu espero que o filme se saia ótimo. É assim que a indústria funciona, e ser capaz de fazer o que eu gosto,fazer coisas que precisam estar autorizadas para irem bem e terem sucesso, entende?

TU: As pessoas falam o tempo todo sobre o quão maravilhoso você é. Você concorda?

RP: Na verdade, não (risos). A verdade é que eu estava recusando a audição para esse papel por meses porque depois de ler o livro eu pensei que não fazia o menor sentido eu aparecer, eu juro! Para mim, quem fosse interpretar Edward teria que ser um tipo de modelo, com o corpo perfeito e alguém que seria capaz de um grande desempenho físico. E eu não me vejo nenhum pouco dessa maneira. Então eu pensei “Tudo bem, eu irei para a audição, eu serei eu mesmo, e essa é a melhor coisa que eu posso fazer”. Eu nunca pensei que eu ganharia esse papel. Rob não tem a menor sorte no amor. Ele disse “Eu nunca realmente me apaixonei, mas eu tento ser tão romântico como eu posso. Há um ano eu ia até qualquer garota e nenhuma delas pareciam interessadas. Eu estou procurando por alguém com caráter. Se eu algum dia encontrá-la, sabe o que eu farei? Eu irei escrever a ela centenas de cartas de amor”.

TU: É verdade que para interpretar Edward você teve que malhar bastante?

RP: Sim, mas eu realmente comecei com isso quase no final do filme. E eu o fiz mais para me sentir melhor comigo mesmo. Eu não queria apenas ter músculos e um tanquinho perfeito, eu queria ser tão saudável quanto fosse possível. Isso reflete em sua atitude e em sua confiança.

TU: Você ainda está tocando música?

RP: Claro! Eu toco bastante música em Londres e eu sempre me lembro desses dias quando eu dou uma volta em meu carro e penso em como ser um músico era o trabalho mais legal do mundo. Eu me imagino tocando em restaurantes ao redor da praia, como o pôr-do-sol perto do oceano. Eu toco piano desde que eu tinha cinco anos, então a música faz parte de quem eu sou.

TU: Falando no Edward, o que você pensa que tem em comum com ele?

 RP: Eu não sei. Eu sou bastante sensível e tímido. Eu tenho poderes sobrenaturais também, (risos). Não, eu gostaria que tivesse. Mas eu sou muito normal.

TU: O que nós veremos nesse novo filme?

 RP: Eu não posso dizer muito porque é um segredo. A ideia é surpreender as pessoas mesmo sendo baseado nos livros. Chris Weitz deu o seu toque, então você tem que ir ver! O que eu posso assegurar a você é que será visualmente deslumbrante. Chris é um gênio e ele ama explorar ao máximo o mundo de Lua Nova. Você não pode perdê-lo. Eu não o vi e estou morrendo para vê-lo.

 

Tradução: Iana Louise


Powered by CuteNews