Nova entrevista de Robert Pattinson para a revista italiana Panorama.

Traduzido/Publicado por Ana Paula em 29 Nov 2009


Nova entrevista de Robert Pattinson para a revista italiana Panorama.

Seu personagem, o vampiro Edward Cullen, tem 109 anos. Você só está no seu 23º aniversário. O que você pretende fazer nos próximos 86 anos?
Robert Pattinson da uma boa risada, e isso é diferente, porque no primeiro filme da saga, lindo, pálido e torturado, ele nunca ria. "Sei o que vou fazer nos próximos 2 anos, mais ou menos, porque assinei alguns contratos, mas não planejo nada. Na Inglaterra chamamos de instinto, de uma forma poética, e não com o meu cérebro. Eu sou escravo da minha sub-consiência ".

Ele está vestido com seu traje habitual: jeans rasgado, preto, com camiseta e uma camisa de flanela marcada. Em seus pés, All Star. Um estilo tão casual que ele ganha um rótulo: "um sem teto chic". "Uma definição perfeita. Não para o chique, mas para o sem teto. Eu estou vagando por Nova York, Los Angeles, Vancouver, Londres, a um ano e meio. Se você tem muitas casas (ou hotéis), é como se você não tivesse ninguém."

Até um ano atrás, apenas alguns fãs de Harry Potter sabiam quem era ator inglês Robert Pattinson (Cedrico Diggory estava em Harry Potter e o Cálice de Fogo e em Harry Potter e a Ordem da Fênix). Hoje, em vez disso, ele é o protagonista de uma nova massa de amor à primeira vista, escolhido para Crepúsculo entre 5000 candidatos (em seu teste, confessou ter que se drogar com meia pílula de Valium). Ele ganha 10 milhões de dólares por cada filme, e, se ele aceitar algo de Crepúsculo na tv, ele vai ganhar 1 milhão e meio de dólares por cada episódio.

Lua Nova, a segunda parcela da saga Crepúsculo, escrito por Stephenie Meyer, ganhou $ 141 milhões na primeira semana de programação. E também na Itália, onde o filme foi lançado em 750 salas de cinema, ele quebrou todos os recordes. Agora, os 70 milhões de leitores dos livros, (traduzido em 45 idiomas) já estão contando o tempo para o terceiro filme (Eclipse, já filmado), e depois o quarto (Amanhecer, que deve ter início no final de 2010 ). Pattinson é tímido e gentil: ele pede desculpas toda vez que ele acende um cigarro, e ele o faz com freqüência.

Ele disse que não gosta de entrevistas, mas ele concedeu esta exclusivamente para a Panorama, tentando explicar a adoração que o atingiu, e que surpreende até ele. Eles, os fãs, são obcecados (obcecados por Rob) e eles estão esperando por ele em aparições oficiais por horas, com sinais ou palavras em suas roupas, o convidando para os morder.

O que você acha de toda essa popularidade?
Fiquei assim em instantes. Mas tento ficar zen: não quero acordar uma manhã e perceber que estou sendo uma pessoa totalmente diferente do que sou.

Seus fãs o tratam como um astro do rock?
Nunca vou falar uma palavra contra eles, não sou ingrato. Eles me fizeram ser o melhor. Não quero desapontá-los. Às vezes fico um pouco irritado: eu não tive grandes ídolos, e eu gostaria de experimentar a adrenalina. Porque o que importa é estar junto e não ser objeto de gritos...

O que você acha que eles viram em você?
Não sou eu, é Edward, o vampiro. O personagem romântico, perigoso, vulnerável, qualquer um pode se transformar nele se imaginar.

A GQ perguntou se você é o novo Mar­lon Brando.
Eu queria! Mas como posso me comparar com Brando?

Eles tiraram os outros nomes de rebeldes: James Dean, Montgomery Clift ....
Eles são, evidentemente, os atores, estudei, analisei os seus filmes. Dean está mais perto de mim para sua idade, mas Brando é o ator A. Eu comprei seus romances, eu não sabia que ele escreveu um. Brando, Dean, Clift tiveram uma característica em comum: eles tomaram todas as coisas a sério. Bem, podemos dizer que eu não fiz nada para ser comparado a eles, exceto me colocar em cada filme que eu fiz. E eu estou falando da intenção, não do resultado.

Na Larry Edmund, uma biblioteca de Hollywood histórica, já existem sete biografias sobre você.
Eu tento não ler qualquer coisa sobre mim, mesmo na internet, mas não consigo resistir, no final: o caso evidente do narcisismo masoquista. Até minha mãe me contou sobre um blog que me chamou de "repulsivo". Foi antes de Stephenie Meyer me defender como escolha, e calar todos os críticos. Aos 23 anos minha biografia poderia durar duas linhas: ele foi para a escola, e ele fez Crepúsculo. O que mais?

Como você descreve sua carreira?
Eu caí dentro dela.  Francamente, pensei em me dedicar a música, mas você não pode sobreviver com ela. Atuar foi uma maneira de ganhar dinheiro (graças a Harry Potter, eu era capaz de ir viver sozinho), até algumas pequenas partes em filmes que a maioria das pessoas não viu, me fez perceber que eu realmente gosto de atuar. Eu me especializei-me em personagens estranhos, diferentes de mim. Como Salvador Dalí, em Little Ashes, onde é narrado o seu amor pelo poeta Federico Garcia Lorca, sob os olhos do diretor Luis Buñuel. Já fiz uma cena de sexo gay em um filme. Mas nunca com uma mulher...

Não são escolhas arriscadas?
Eu me considero chato e em busca de uma vida mais interessante. Meu personagens adicionam coisas a minha vida. Eu me sinto mais profundo atuando. Se eu tiver que ficar triste, agora eu realmente sinto a tristeza. Eu não acredito em minhas reações, porque são muito superficiais.

Seu sonho?
É ainda de fazer um álbum. Mas eu preciso de muita concentração, porque a música não pode ser um hobby. É a única coisa que fazem você mais nu, mais do que agir. Você não pode culpar ninguém, se você fizer o mal, você não pode culpar qualquer escritor ou diretor. Aí está você, com sua alma.

Música parece um bom compromisso.
Sou ok como cantor, principalmente à noite, depois do terceiro uísque. Mas sou terrível como uma bailarina.

Você já teve aulas de atuação?
Não, exceto na Barnes. Meu pai me convenceu a juntar-se: ele notou o giro meninas lá. Essa foi uma maneira de acordar: Eu era muito tímido e até 12 eu estava em escolas só com meninos. E você tem que considerar que quando eu era criança, minha irmã me vestia como uma menina e me chamou de Claudia .... 

O que você faz quando não está atuando?
Quando não atuo? Eu escrevo. Um romance, uma comédia de humor negro, que comecei com a idade de 17. Mas não toco nele a muito tempo. Depois houve também o roteiro de um romance de ficção científica, mas que, eu o interrompi. Bem, se vou continuar nesta vida caótica, eu não acho que posso concluir qualquer coisa de dez anos atrás.

Próximo filme?
Entre Lua Nova e Eclipse, eu filmei Remember Me, um filme dramático romântico. Em fevereiro vou começar em Budapeste Bel Ami, com Uma Thurman e Kristen Scott Thomas. E no próximo Verão Unbound Cap­tives no Novo México, com Hugh Jackman. Meu personagem foi raptada por Comanches, e não fala uma palavra de Inglês. Eles são diferentes filmes, eu não quero ser um vampiro para o resto da minha vida.

É verdade que você foi forçado a trabalhar fora, e colocar alguns músculos?
Sim, eu não sou bom no esporte. No teste de Harry Potter, eu menti, e disse que eu joguei futebol e snowboard. Na realidade, como um bom inglês, eu não posso fazer nada mais do que bilhar e dardos. Antes de gravar Lua Nova, eu descobri boxe. Melhorou a minha postura e atitude.

Qual é o último presente que você deu a você mesmo?
Em Vancouver eu comprei uma guitarra elétrica vintage de 1951.

Tradução: Desirée 

Powered by CuteNews