Perguntas e Respostas com o astro de Crepúsculo Robert Pattinson

Traduzido/Publicado por Bruna Abreu em 23 Mar 2010


Nova Iorque – Existem astros, existem ídolos, e existem os que valem a gritaria – os caras que você mal tem de mencionar para as garotas explodirem em êxtase, alegria extrema e uma certa quantidade de tormento.

Tal como Robert Pattinson, o ator inglês de 23 anos que faz o vampiro Edward Cullen na série “Crepúsculo”, e que acontece de ser um cara muito gentil e aparentemente normal. Entre o seu sucesso como devorador de humanos, aliás, ele está interpretando o complicado Tyler Roth no drama dirigido por Allen Coulter “Remember Me”, que estreou em 12 de Março.

Ele recentemente tirou um tempo livre da sua agenda ocupada para responder a algumas perguntas sobre seu último filme e seu alter ego sugador de sangue:

Você pegou esse projeto só para contrariar a sua imagem de Edward Cullen?
Rob: Essa foi uma das razões. Mas também havia algo diferente sobre o script que ficou comigo. Foi estranho – você se pergunta porque ele foi escrito, o que aconteceu ao escritor, que elementos são verdadeiros. E pareceu que eu podia passar o verão em Nova Iorque e seria muito legal depois de todo o pandemônio.

Pierce Brosnan, que interpreta o seu pai, foi James Bond em 4 filmes; você tem uma franquia de 4 filmes. Vocês já falaram sobre isso? 
Rob: Na verdade não, mas ele era ótimo, pretensão zero, completamente confortável em sua pele. Na primeira vez que saímos para jantar, havia umas pessoas na outra mesa olhando para ele, então ele foi lá e se apresentou e de repente todo mundo estava mais confortável.

Estavam olhando para ele e não para você?
Rob: Eles não faziam idéia de quem eu era. Foi em um antigo restaurante francês no Upper West Side. Alguém disse, “Esse é o seu filho?”, e Pierce disse, “Sim, esse é meu filho.” Ele foi muito divertido de se trabalhar.

Só existem 4 romances em “Crepúsculo”; o terceiro filme sai em Junho. Parece que você está na reta final.
Rob:
É por isso que nunca fiquei particularmente preocupado. Eles farão o último no fim do ano, e acaba. Pronto. E porque eu não comecei quando eu realmente era uma criança, eu não sinto como se tivesse perdendo nada ou vendendo minha infância. É uma coisa muito engraçada ter passado por isso. É como uma supernova. Explodiu tão rápido e daí terminou.

Como você se refaz depois disso?
Rob:
Estou fazendo “Bel Ami”, que é baseado em um romance de Guy de Maupassant. Eu faço um vigarista que seduz seu caminho acima pela escada social, trai todo mundo. Qualquer pessoa que faça um favor a ele, ele apunhala pelas costas, e depois acaba sendo recompensado por isso no fim. Ele é uma ameaça real a sociedade. É uma experiência completamente diferente do que já fiz antes.

 

Tradução: Josi Teixeira




Powered by CuteNews