Nova Entrevista com Robert Pattinson: Remember me, Little Ashes e Bel Ami,

Traduzido/Publicado por Ana Paula em 29 Mar 2010


O ídolo adolescente demonstra que há mais vida além de Crepúsculo enquanto fala com "Time Out" sobre seu 'sério' romance indie, Remember Me.

O murmúrio de excitação nervosa que zumba ao redor do quarto de hotel de Robert Pattinson esta manhã é tal que quase espera ver-lhe aparecer com pele de ouro e dentes afiados alarmantemente. Mas em pessoa, a estrela de Crepúsculo é carinhoso, sério e mais elegante do que você possa imaginar, e tem algo de colegial adolescente nele, inclusive sob os punhos desfiados de sua jaquetas. Em nosso pequeno bate-papo monitorado (20 minutos! Nada de perguntas sobre Kristen!) Pattison fala sobre seu personagem estudante fumante e perdido ‘Tyler Hawkins' no filme indie americano ‘Remember Me', sobre a criação da ‘mística' como ator e sobre chupar sangue dos lábios de sua companheira de interpretação.

Você parecia morto de medo quando esava apresentando um prêmio no Bafta o mês passado. Está voltando a ficar tímido?
RP: “Creio que sou, sim! Quantas mais entrevistas faz, mais coisas você diz as pessoas. De repente você está preocupado porque as pessoas são mais propensas a te julgar. Se ninguém sabe nada sobre você, então pode dizer o que quer – e contradizer depois. Mas quantas mais contradições você faz, o alcance se volta tão estreito que o que você pode dizer antes as pessoas o que lhe incomodou”.

Onde encaixa ‘Remember Me' na loucura de Crepúsculo'?
RP: “Tinha lido toneladas de scripts depois do primeiro filme de Crepúsculo e houve um ou talvez dois que eu gostei. Não trabalhei um ano todo depois de Crepúsculo. Que fiz? Nada! [Risos]. Estive realmente bem. Ainda estava muito acostumado a sair a maioria do tempo quando estava na Inglaterra. E agora que tenho trabalhado muito, não posso imaginar sair um mês sem preocupar-me. Por tanto agora, estou indo de trabalho-em-trabalho. O que é uma coisa perigosa de fazer porque você tem um filme estreando cada 3 meses. É cansativo. Tem que trabalhar um pouco para criar algum tipo de mística”.

Mística? É o que você sente que necessita? Ou o que você sente que quer que a gente sinta?
RP: “Vejo as pessoas que estão nos jornais e nas revistas todo o tempo. Se estão aí cada semana, estou muito menos interessado nos seus filmes. Por tanto, sim, sou sempre um pouco cauteloso”.

Teu novo filme ‘Remember Me' se situa no verão de 2001. Você Teve alguma reserva sobre falar do 11/09?
RP: “Quando o li no início, não pensei que isso fosse polêmico. Pensei que fluiria orgânicamente; que estava ancorado na realidade. Foi duro para mim por tanto quis representar as mesmas emoções que senti a primeira vez que o li. Estou certo que as pessoas pensem que é manipulado. Li o roteiro e senti que devia fazê-lo”.

Você recebe muitas surras em ‘Remember Me'. Foi divertido atuar como uma pessoa real como uma mudança?
RP: “Sim, sempre é agradável destroçar coisas. Suponho que é uma das coisas mais divertidas disso – da primeira briga, que é uma severa surra, tem todas essas feridas na sua cara, as duas terceiras partes do filme”.

E depois tua namorada no filme Emilie de Ravin te beija e ela tem um lábio partido…
RP: “Havia um grande momento, que está no roteiro, onde há uma espécie de enredo com o corte no seu lábio mas foi cortado do filme – onde estou chupando um pouco de sangue dele [risos]. Acho que foi um pouco complicado”.

É esta tua primeira cena de sexo?
RP: “Não. Minha primeira cena de sexo foi em ‘Little Ashes' quando tinha aproximadamente 21 anos, e foi com um garoto. E se supunha que tinha que ter uma espécie de crise nervosa no meio dela também. Por Tanto foi uma boa introdução!”.

Sente que você tem que demonstrar algo, tendo sido Crepúsculo tão rentável?
RP: “Acho que as pessoas são realmente severas com tudo o que se transforma em sucesso. É realmente complicado. Estava vendo um artigo sobre ‘Little Ashes'. ‘Ele ainda não tem demonstrado seu potencial com bilheteria. ‘Little Ashes' bombardeada'. Poderia ter sido a temática gay? Ou o fato de que só foi estreada em 16 cinemas?”.

Há muitos gays, álcool e sexo nesse filme. Que há de teus admiradores mais jovens?
RP: “É a última das minhas preocupações. Acho que é muito ridículo, que as pessoas ponham pressão nas artes. Acho que os pais devem ser os únicos que ensinem às crianças. Quanto mais você tente esconder coisas como essas, mais excitantes e atrativas são. [Sorri] O moviemento da abstinência é só uma reação a todo o mundo que está muito obsessivo com o sexo durante os últimos 20 anos e que está muito aberto a todos. É louco pensar que pessoas jovens, quando seus hormônios estão mais alterados, que de repente não pensarão em fazê-lo, ‘Oh, não quero nada disso'”.

Você está atualmente rodando ‘Bel Ami' com Uma Thurman. Você interpreta a um verdadeiro porco.
RP: “Achei que era um dos scripts mais divertido dos que nunca tinha lido. Quando fizeram o filme nos ‘50 com Angela Lansbury, tiveram que mudar a história. O filme trata deste garoto que enfastia a todo o mundo e seduz a todas essas mulheres e escapa com tudo completamente. E no primeiro filme, tiveram que eliminá-lo porque pensaram que o público não estaria disposto a aceitá-lo. Nesta é o oposto total. Este garoto é um completo imbecil, muito arrogante e teimoso e falso beato com relação a tudo. Ele continua sendo um imbecil até o final e todos lhe felicitam por isso”.

Tradução: Deia Almeida 

Powered by CuteNews