Entrevista de Robert Pattinson com a LasProvincias.es

Traduzido/Publicado por Deia Almeida em 30 Mar 2010


Robert Pattinson estreia esta semana 'Remember Me', uma história dramática onde a dor e o amor são protagonistas. A fita é um parênteses entre 'Luna nova' e 'Eclipse', a segunda e a terceira parte da franquia de 'Crepúsculo'. Com este pequeno filme, Pattinson se afasta de Edward Cullen, o vampiro que lhe transformou no jovem mais desejado do planeta. Assediado pelas suas fãs e perseguido pelos fotógrafos Pattinson confessa nesta entrevista que se esconde para manter na sua vida certa dose de tranqüilidade.

P: Seu personagem em Remember Me é o mais próximo da sua própria personalidade?
R: Não. Acho que é impossível representar a si mesmo estando plenamente consciente do que você está tentando fazer. Tento encontrar personagens que não são nem um pouco parecidos comigo. Quanto mais desconhecidos são para mim, melhor posso interpretá-los porque não me sinto vulnerável. 


P: Você gosta dos personagens torturados?
R: Esses foram os que me ofereceram. No meu subconsciente tento ser como meus personagens, e vivo minhas fantasias através deles. Eu adoraria ser uma pessoa jovem que luta por seus ideais, mas não sou assim. 


P: Todos batem nele em Remember Me.
R: Prefiro apanhar a bater. É mais interessante. 


P: Como você descreve o filme?
R: É um filme sobre estilo de vida, sobre amor e o desejo de viver. A história é contada através dos olhos de Tyler, que não tem noção das consequências de seu relacionamento. 


P: Trauma parece ser o vínculo de todos no filme.
R: Sim, todos os personagens no filme virão a morte de alguma maneira, perdendo um membro da família. Então a uma conexão entre eles através do sofrimento. 


P: Esse é seu primeiro filme depois de Lua Nova, é um alívio?
R: Sim. Eu queria fazer um fime menor. Algo com um orçamento modesto que eu pudesse filmar entre os filmes de Crepúsculo. Queria uma história que fosse mais realista porque eu estava ficando cansado do gênero fantasia. Eu precisava fazer um personagem normal que enfrenta questões normais. 


P: Você sente a pressão da fama agora?
R: Sim, e a pressão da indústria também. É como se todos estivessem olhando para mim. Algumas pessoas estão apenas esperando que eu caia e me queime, outros estão convencidos de que eu vou fazer isso. Mas em qualquer caso, não ligo para as expectativas das pessoas. Eu sou o único que tem que se preocupar com minha carreira. 


P: Eclipse está chegando...
R: Eu sei. E eu estou um pouco bravo porque as pessoas esqueceram da minha performance em Remember Me, e manter a idéia que tinham de mim antes. Eu achei que Eclipse fosse sair 3 meses depois de Remember Me, mas não. Só espero que as expectativas não ofusquem o filme, porque o terceiro filme não vai ser muito diferente dos dois primeiros. 


P: A Mattel tem um boneco com a sua imagem, existem biografias não autorizadas suas, fotógrafos seguem você em todos os lugares. Você se sente como uma marca?
R: Sim. A fama pode ser um monstro que consome sua vida. A única coisa que me incomoda são as pessoas que acham que me conhecem e tentam relacionar certa imagem de mim. Eu não ligo se Hollywood me vê como um adolescente torturado. Vou mudar essa percepção com meu trabalho. Nessa indústria tudo com que se preocupam é fazer dinheiro. Não importa se você é o próximo super herói, ou o próximo vampiro, de uma próxima comédia romântica. 


P: É difícil descansar depois de tanta atenção:
R: É muito difícil. Não tem nada que eu possa fazer além de tentar achar momentos de paz, ou então eu ficaria louco. É irritante quando as pessoas gritam por você nas ruas ou nos supermercados, ou quando você está com seus amigos em um pub. Eu gosto dos meus fãs e do apoio deles, estou agradecido e eu sei que não estaria aqui sem eles. A parte mais chata é viver com 100 fotógrafos do lado de fora da minha casa, porque eles nunca param, eu vivo me escondendo deles.

Tradução: Desirée

Powered by CuteNews