Sua cruz: o vampiro galã - Nova entrevista com o The New York Times

Traduzido/Publicado por Milla em 19 Jun 2010


Apesar de todos os esforços da equipe de publicidade da Summit Entertainment, que tem um terceiro filme para promover, levamos mais de um mês para encurralar o galã da franquia para uma entrevista. Robert Pattinson estava à mercê de um cronograma de filmagens para o caótico "Água para Elefantes", seu maior filme não-Crepúsculo até a data.

É justo. Um cara tem que trabalhar. Mas o Sr. Pattinson também não estava muito ansioso para conversar pela milionésima vez sobre Edward Cullen, o vampiro adorável que ele reprisa em 30 de Junho, em "A Saga Crepúsculo: Eclipse." Quando ele estava finalmente pronto para irromper para o circo (com menção à "Água para Elefantes", e não à multidão de paparazzis e meninas que o seguem de perto), Sr. Pattinson parecia um pouco saturado de Crepúsculo.

"Pode ficar um pouco chato", disse ele suavemente tomando um café no hotel Four Seasons, referindo-se tanto a interpretar um vampiro imutável quanto à digerir a importância cultural disso Tudo. "A boa notícia é que tudo é feito em sete meses." Não que ele esteja contando os dias nem nada.

Felizmente para os fãs (e para a Summit) e, infelizmente, ao que parece, para o Sr. Pattinson, calcula-se que dure cerca de um ano. As filmagens podem encerrar a série Crepúsculo em sete meses, mas a Summit decidiu dividir o quarto (e último) "Crepúsculo" de Stephenie Meyer, "Amanhecer", em duas partes. Assim, o Sr. Pattinson provavelmente estará em divulgação no final do Verão de 2012.

Por favor, não o interprete mal. O Sr. Pattinson, 24, está plenamente consciente de que ele provavelmente não teria toda essa carreira sem o fãs de Crepúsculo, com a maioria das mulheres o seguindo e como seus filmes são conhecidos. Seu único papel notável antes de Edward Cullen foi um pequeno papel em "Harry Potter e a Ordem da Fênix", como Cedric Diggory, o condenado pretendente de Hermione. Atingir este nível de sucesso, logo após chegar a Hollywood - "Crepúsculo" e "A Saga Crepúsculo: Lua Nova" acumulou US$ 1,1 bilhões nas bilheterias mundiais - é o sonho raramente atingido de jovens atores por toda parte.

Mas o furacão, a fama mundial que veio com a franquia o deixou emocionalmente cru. Caçado pela imprensa de tabloides ("R-Patz corta seu cabelo!"), Sr. Pattinson mudou de hotel seis vezes no mês e meio que passou em Los Angeles filmando "Aguá para Elefantes" Ele chegou no café vestindo um boné e óculos escuros para cobrir seus cabelos e olhos procurando estar com boa aparência, e imediatamente vetou uma câmera escolhida por um publicitário para a sua vida privada como também pública. "Kris é melhor lidando com os fotógrafos que eu sou", disse ele, referindo-se igualmente à seu pedido depois da co-estrela, Kristen Stewart, depois de finalmente se decidir por um recanto ao ar livre rodeado por sebes altas.

"Aprendi um pouco a esquecer, mas ainda estou muito incomodado com isso", disse. "Quanto mais você está mais exposto, mais as pessoas irracionalmente te odeiam, eu acho que chegou a um ponto, um pico, com 'Lua Nova', onde as histórias se tornaram tão saturadas na cultura que elas começaram a parecerem normais. É como se os tabloides não soubessem mais o que escrever, porque eles já usaram todos os seus escândalos. "

Ele também se preocupa em ser rotulado como nada mais do que um ídolo teen. Claro, ele se destaca muito nos filmes "pegajosos"  de Crepúsculo, como evidenciado pela forma com que as legiões da S. Meyer - os livros já venderam cerca de 100 milhões de cópias em todo o mundo desde 2005 - o abraçaram. Mas o Sr. Pattinson fala sobre o desejo de fazer "personagens que não são paródias", e que adoraria fazer uma comédia com Todd Solondz ("Welcome to the Dollhouse"). Ele gostaria de ter uma carreira como Joaquin Phoenix, que fez um papel heterodoxo pop. (Isso quando o Sr. Phoenix está trabalhando na frente da câmera e não perseguindo outros interesses, como música ou aparecendo todo barbudo e bizarro no "Late Show With David Letterman".)

Para esse efeito, o londrino tem estado ocupado aceitando papéis que parecem ligados apenas por uma diversidade peculiar. Em "Água para Elefantes", uma adaptação do romance de Sara Gruen, ele faz um veterinário que se junta a um circo na época da Grande Depressão, depois que seus pais estão mortos. O indie "Bel Ami", do romance de Maupassant, co-estrelado por Uma Thurman e Christina Ricci, ele fez um alpinista social sem escrúpulos, que sobe ao poder, em Paris, manipulando as mulheres ricas. Um possível papel em um faroeste chamado "Unbound Captives" apela para que ele falasse quase que inteiramente em Comanche.

"Eu acho que o ídolo teen é algo com que Robert Pattinson precisa se preocupar", disse Jeanine Basinger, a diretora do departamento de estudos de cinema na Wesleyan University e autora de "A Fábrica de Astros." A questão é que um ator ser tão perfeito em uma coisa em um determinado momento que o público se recuse a aceitá-lo como qualquer outra coisa."

Ela veio com uma lista. Christopher Atkins, que saltou para a fama (com Brooke Shields), em "A Lagoa Azul", mas logo foi esquecido quando tentou outros papéis. Corey Feldman, junto com a maioria de seus colegas de "Lost Boys". O veredito não envolve Zac Efron, que vai aparecer no drama "Charlie St. Cloud". Preocupante o fato de que "Footloose" foi muito semelhante ao "High School Musical", que agarrou o Sr. Efron no remake e ficou fora dos cinemas por mais de um ano. "Geralmente os rapazes que têm a aparência para serem ídolos teen não crescem para parecer com o que temos em mente quando pensamos em grandes protagonistas", disse a Sra. Basinger.

Há esperança. Leonardo DiCaprio, cuja adoração pós-"Titanic"  é provavelmente a coisa mais próxima da que o Sr. Pattinson passou, lutou para superar Jack Dawson (lembre-se de "The Beach), mas evoluiu com sucesso, escolhendo os papéis corajosos e a parceria com Martin Scorsese em filmes como "O Aviador", "Os Infiltrados" e "Shutter Island".

"Água para Elefantes", que também estrela Reese Witherspoon e Christoph Waltz, está aguardando da 20th Century Fox uma data de lançamento. É o tipo de papel literário sério que pode trazer a atenção dos críticos e afirmar o Sr. Pattinson. "Há uma vulnerabilidade profunda sobre Rob e seus maneirismos, que o faz extremamente acessível ", disse Elizabeth Gabler, presidente da Fox 2000, o estúdio que está fazendo o filme. "Ele também tem uma bondade inata sobre ele que fica maravilhoso neste papel. "

Sr. Pattinson claramente gostaria de trabalhar com outra coisa. Ele se animou quando falamos sobre as filmagens, mencionando uma cena em que um leão tinha que morder o braço dele e outra onde ele tinha de passar horas recolhendo estrume de cavalo - um detalhe preocupante, dada a condição de suas unhas encardidas. "Parece que todo mundo é vencedor do Oscar, exceto eu", falou ele do elenco e da produção.

Muito está se esperando de "Água para Elefantes", porque seus papéis protagonistas fora de "Crepúsculo" falharam ou decepcionaram nas bilheterias.

O barato drama romântico "Lembranças", lançado em março, arrecadou apenas US$ 19 milhões na América do Norte. Os cerca de US$ 35 milhões de bilhetes no exterior aliviou um pouco a dor, mas o resultado foi que Sr. Pattinson pareceu não ser capaz de sustentar um filme, apesar do saboroso "Crepúsculo". "Little Ashes", um filme estrangeiro em que o Sr. Pattinson desempenhou um Salvador Dalí excitado (que foi filmado antes de "Crepúsculo"), mal registou um caixa no lançamento limitado do ano passado.

O único conselho para a carreira de Sr. Pattinson dos veteranos de Hollywood é continuar fazendo o que ele está fazendo. "Continuando a ter diferentes tipos de papéis e continuar a arriscar acabará rendendo mais trabalho", disse Allen Coulter, que dirigiu "Lembranças". "As pessoas estão dispostas a vê-lo como mais nada além de Edward Cullen, que acabará sendo abatido."

Parte do desafio do Sr. Pattinson é sem dúvida o vampiro. A única franquia de filmes que remotamente se compara ao "Crepúsculo" em termos de popularidade e o número de filmes com o mesmo elenco é "Harry Potter." Mas como as histórias de "Harry Potter" têm crescido, Daniel Radcliffe também foi permitido a crescer. Mas a natureza de seu personagem em "Crepúsculo" - um vampiro que não envelhece - Sr. Pattinson está muito preso.

"Eu espero que não comece a parecer ridículo," Sr. Pattinson disse, referindo-se a ficar cada vez mais velho, mas interpretando o mesmo personagem.

O público pode julgar por si mesmo no final deste mês, quando "A Saga Crepúsculo: Eclipse" chega às salas de exibição. O segundo filme foi mais sobre a química entre Bella, a taciturna estudante do ensino médio (Sra. Stewart) e Jacob, o lobisomem (um Taylor Lautner, muitas vezes sem camisa). O terceiro filme, que teve um custo de US$ 68 milhões e que foi dirigido por David Slade ("Hard Candy"), é sobre o triângulo: as idas e vindas da personagem de Stewart entre seu namorado vampiro e o admirador lobisomem.

"Como Rob tem atuado mais, ele tornou-se menos consciente da câmera e mais ligado ao personagem", disse Wyck Godfrey, produtor dos três primeiros filmes. A confiança do Sr. Pattinson está crescendo, disse ele, mas o ator ainda pode ser auto-depreciativo com uma só falha. "Rob sai de cada cena pensando, 'Oh Deus, isso foi um desastre."

A febre "Crepúsculo" mostra poucos sinais de acabar tão cedo. As vendas antecipadas são equivalentes à "Lua Nova", e o número de acordos de licenciamento (Burger King, Vitamin Water, Volvo) é enorme. "Eclipse" pode abrir uma escala semelhante a "Lua Nova", a franquia provavelmente amadureceu, dizem os analistas.

Mas os dois últimos filmes estrearam durante o ano letivo, e a esperança é que a arrecadação deste filme - A quarta semana de julho - gerará novos negócios que superará os outros filmes. Sr. Pattinson não terá muito tempo para analisar os resultados, muito menos para tirar umas férias de seis meses, que é o que o Sr. Godfrey disse que o jovem ator precisa. A produção de "Amanhecer" começa já em outubro.

Tradução: Sheila Andrade
Fonte: NY Times

Powered by CuteNews