Entrevista com Robert para a revista Corazón de Vampiro

Traduzido/Publicado por Ana Clara em 09 Nov 2010


Entrevista com  Robert Pattinson

Revista: Como está a gravação de Lua Nova?
Robert:  Genial. Para ser sincero, estou surpreendido pela descontração que é. Estava muito nervoso antes de começar porque agora há muita expectativa. Mas com essa equipe tudo parece ir realmente bem. É um dos trabalhos mais descontraídos que tenho tido. É realmente inesperado. Até agora está indo muito bem.

Rev: Te surpreendeu que Twilight se tornou em um fenômeno?
Rob: Nunca deixa de me surpreender. Inclusive aqui. Ontem havia 300 pessoas fora do set. É uma loucura. Cada dia, cada pessoa que conheço conhece alguém que sente um forte apego aos livros. É muito difícil manter a cabeça fria. Posso ir na alfândega de qualquer aeroporto no mundo, e cada agente da alfândega me diz: "Pode me dar um autógrafo para minha filha?" Todo o tempo! É uma loucura! Espero que isso não mude minha forma de pensar.

Rev: Qual o filme de vampiro favorito de todos os tempos?
Rob: Sempre  gostei do original "Nosferatu". Recentemente vi "30 Dias de Obscuridade." Penso que realmente é boa. Mas não diria que sou um fã dos vampiros.

Rev: Estão te oferecendo muitos papéis agora. Como você está fazendo sua eleição?
Rob: Os julgo com base no roteiro. Tenho me ocupado todo o ano. Tenho estado fazendo coisas mais diferentes que possa imaginar. Cada papel é tão diferente. Não posso dizer nada do que estou fazendo, ainda não estão finalizados. Mas não elejo pelo gênero; puramente pelo roteiro. Se eu gosto do roteiro e o papel, é tudo o que importa.

Rev: Há diferenças na sua preparação para interpretar Edward?
Rob: Me sinto muito familiar com o personagem. Sou um fantasma, um produto da imaginação de Bella. Realmente não estou interpretando Edward. Interpreto uma espécie de memória transformada, na qual é realmente surpreendente. Estou tentando interpretá-lo como se Edward estivesse pensando constantemente que as coisas vão ficar em pedaços. Esta é a ideia relação fundamental. Estou muito, muito perto da superfície. Ele é tão inseguro sobre tudo.

Tradução: Deia Almeida

Powered by CuteNews