Robert Pattinson: “Eu me sinto melhor trabalhando com animais do que com pessoas”

Traduzido/Publicado por Ana Paula em 26 Mar 2011


Quando você é jovem, ator, bonito e fica famoso graças à Crepúsculo, você pode ficar para sempre preso a esse estereótipo. Mas o talento de Robert Pattinson somado a sua habilidade lhe permite trabalhar nos sets interpretando papeis completamente diferentes de Edward Cullen. Depois do drama Remember Me, ele está em outro romance ao lado dos vencedores do Oscar Resse Witherspoon e Chris Waltz. Para Dark Magazine, ele falou sobre a experiência atípica de interpretar Jacob, um jovem que teve que largar a faculdade de veterinária depois de uma tragédia familiar, e decide mudar sua vida quando se junta a um circo. Ele irá se apaixonar por uma jovem mulher, Marlena, e mais surpreendente ainda por um elefante: Rosie. Esta estória se passa na década de 30 na  América. Nos cinemas, 4 de maio.

Oi Robert, você pode falar sobre Jacob. Quem é ele? Como ele se junta ao circo?
Jacob é um estudante de veterinária da Cornell University, ele está fazendo as provas finais, quando recebe a notícia da morte dos seus pais em um acidente de carro. Seu mundo desaba em poucos meses.  Ele embarca em um velho trem para começar do zero e tentar arranjar um emprego em algum lugar, logo depois ele descobre que é um circo itinerante. Ele conhece Marlena logo no primeiro dia, e essa é uma das duas razões principais para ele querer continuar no circo. Gradualmente ele vai se adaptando a sua nova vida  e se apaixona por Marlena. Ele também consegue por tudo para os ares! (risos)

Como você o descreve?
Jacob não sabia nada sobre circo. No começo, ele é auto- confiante, ele sabe o quão idealista é. Mas rapidamente ele percebe o universo em volta, ele se vê no meio de uma crise econômica, que parece destruir a última centelha de esperança dentro dele. Ele acaba se familiarizando com August, um homem muito violento. Na verdade, Jacob supera várias adversidades que a vida lhe impôs, ele encara muitas dificuldades ao longo da história, e no fim ele percebe que ele consegue se manter idealista, não importa o que aconteça. Eu acho que é isso que encoraja Marlena a seguí-lo. August é um homem muito prático. Ele pensa que deve parecer um homem frio e indiferente com os outros, mesmo com o mundo em colapso. Mas Jacob vê as coisas de uma maneira diferente. Seu modo de vida é muito distante do de August.

Você consegue encontrar facilmente uma conexão entre você e seu personagem?
Sim. Honestamente, eu me sinto melhor trabalhando com animais do que com pessoas. Eu descobri que todos os animais tem uma fraqueza. Você só precisa de algumas folhas de hortelã para ser amado por um elefante. Eu vi que você pode fazer o que quiser com as girafas desde que você tenha um suco de maçã em mãos. Mesmo os treinadores dos animais ficaram encantados. Tinha uma girafa de 6 meses de vida no set, e eles não conseguiam fazer ela agir do modo que eles queriam. Eu fui vê-la coberto de suco de maça e ela me seguiu para todos os lugares. Todos ficaram perplexos “Como você fez isso? Por que ela faz o que você diz?”

Você leu o livro de Sara Gruen, Water for Elephants?
Eu já tinha lido antes de conseguir o papel, mas quando eu comecei a ler não conseguia mais parar. Eu lia no avião quando estava indo para algumas refilmagens de Crepúsculo e o homem ao meu lado também estava lendo o livro. No meu voo de volta, o passageiro ao meu lado estava lendo também! Foi muito estranho. Eu sei que o livro é um best- seller nos EUA, mas eu acho que é um livro de sucesso nos outros países também. Achei parecido com os livros de Twilight. Quando nós começamos a gravar o primeiro filme, mais e mais pessoas descobriam o livro, as vendas aumentaram e o romance se tornou conhecido imediatamente. Poucas pessoas tinham escutado sobre Water for Elephants, e de repente todos estavam lendo o livro.

Foi muito diferente de Crepúsculo. Foi interessante e emocionante essa experiência?
Foi maravilhosa. Foi ótimo trabalhar com grandes atores. Eu realmente não sabia o que esperar quando eu assinei o contrato do filme. Então, eu encontrei Tai, o elefante, e foi tão incrível que eu realmente não tive nenhuma dúvida de que eu queria fazer isso! (risos). Desde o primeiro dia, foi uma experiência maravilhosa. Todos estavam  profundamente envolvidos com o projeto, todos no set estavam convencidos de que esse filme seria um sucesso.

Como foi trabalhar com Tai, você se apaixonou?
Quase! (risos). Eu fiquei muito triste quando eu tive que deixá-la no final das gravações. Ela tem um carisma extraordinário. É estranho – Deve ser o mesmo com outro elefante já que eles são tão grandes. Você se sente tranquilo quando está perto deles. Eu poderia facilmente ficar sentado ao lado de Tai o dia inteiro. E foi isso que eu fiz nos primeiros dias. Eu me sentava perto dela e ficava ali o dia todo. Não há maneira deles te machucarem, porque eles sempre sabem onde você está. Estes animais tem uma personalidade incrível – Pelo menos ela tem. Ela é adorável.

Segredos do set
Se o romance não é muito conhecido na França, os melhores jovens atores de Hollywood brigaram por Jacob: Channing Tatum (GI Joe, Cher John), Emile Hirsch (Into the Wild) e  Andrew Garfield (The social network, Spiderman) fizeram audições para o papel, mas Robert Pattinson foi o escolhido. Reese Witherspoon e Robert Pattinson já trabalharam juntos na Vanity Fair. Em Water for Elephants eles são amantes secretos e em Vanity Fair, Reese era mãe de Robert!

Fonte | Tradução: Andressa 

Powered by CuteNews