Entrevista de Robert ao The Guardian UK: A Realidade Morde

Traduzido/Publicado por Sheila Andrade em 06 Nov 2011


Um minuto e Robert Pattinson era um músico sem trabalho, e então Crepúsculo o tornou o segundo ator britânico mais bem pago. Já que a grande saga de vampiros chega próximo de seu fim, ele conta a Sanjiv Bhattacharya o quão amedrontador é voltar à luz do dia.

Quando perguntada sobre as pressões da fama, Emma Watson (Hermione na série Harry Potter) disse que estava agradecida por não ser Robert Pattinson. "Não posso sequer imaginar como esse tipo de fama deve ser", disse ela. "Muitas pessoas devem desejar estar na posição deles e acho que ele tem a melhor vida, mas na verdade é o preço que você paga. Não interprete a partir de minha perspectiva. Não é tão ruim para mim. Eu não estou na posição de Rob: eu não tenho pessoas gritando, chorando e me agarrando, sou tão grata por isso"...

Quer dizer alguma coisa quando a estrela de Harry Potter acha que você é o único que é muito famoso. Mas Pattinson - aka R Patz - parece ter entendido isso na sua caminhada. Ele cumprimenta as mutlidões gritantes com humor, charme e com vontade de posar para fotos. Não houve drogas ou brigas com paparazzi. Até mesmo o romance que ele começou com a co-estrela de Crepúsculo Kristen Stewart, há dois anos, sobreviveu a cobertura intensa das revistas de fofocas, um testemunho do sangue frio desse garoto de 25 anos.

Então, hoje deveria ser mais uma brisa. Ele está no Four Seasons Hotel em Beverly Hills para falar sobre Amanhecer - Parte 1, a quarta parte da franquia Crepúsculo, que tem sido sua vida nos últimos quatro anos. Quando ele aparece, no entanto, ele está todo desarrumado. Seu cabelo é o famoso bagunçado e sua camiseta  tem um buraco em um lado. Não é nem mesmo um rasgo fashion - só a costura que se foi. Ele olha como se ele tivesse acabado de ser cercado por uma gangue de fãs raivosos.

Felizmente, Pattinson não parece se importar. Nos anos iniciais de Crepúsculo, seus pensamentos se voltaram para como a vida poderia ser depois. "É como estar em comparação com pessoas que estiveram em filmes grandes que simplesmente meio que desapareceram depois, embora eles provavelmente tenham ficado incrivelmente gratos e conseguido vidas bem sucedidas", diz ele, mordiscando uma unha. "Assim como Luke Skywalker." Ele coça a cabeça. "Qual é o nome dele?"

Mark Hamill.

 "Sim !As pessoas dizem: 'Oh, a maldição Mark Hamill. E o pobre Mark Hamill. Jesus Cristo." Ele se inclina para trás na cadeira e ri, aparentemente alheio ao estado de sua camiseta. "Quer dizer, eu tenho certeza que ele se saiu bem."

É fácil esquecer que esta confusão de um homem encantador rende pelo menos US$ 12 milhões por filme. As maçãs do rosto são um indício, mas seus olhos parecem mais distantes do que o esperado - é rosto de um modelo, mais atraente em 2D. E Pattinson não tem qualquer arrogância ou se vangloria disso. Alto do jeito que é, ele não se impõe. Sua linguagem corporal está solta, acessível, modesta. Ele não está na cúpula admirando a vista tanto quanto olhando para baixo e esperando que não caia. "Eu penso na desgraça iminente o tempo todo," ele diz com um encolher de ombros.

Este medo apocalíptico decorre do modo como sua carreira começou. Um minuto ele era um completo desconhecido. E então, em um céu azul claro, Crepúsculo aconteceu, e ele se transformou em Elvis. Meninas de todos os continentes ficaram loucas, assim como suas mães. Em 2010 a revista Time declarou Pattinson como uma das pessoas mais influentes do mundo. E agora o fim está próximo.

Breaking Dawn é o último livro da série, mas a Summit Entertainment preferiu condenar os fãs a gastar seu último dólar gritante e puxou o truque Harry Potter de dividi-lo em duas partes (a segunda parte sai no próximo ano). A maneira como eles conseguirão fazer dois filmes tirados do último livro será interessante de ver. O enredo de Amanhecer, em que o romance vampiro-humano entre Edward [Pattinson] e Bella [Stewart] finalmente chega ao altar do casamento, não oferece muito o clímax a ação final de, digamos, Harry Potter e as Relíquias da Morte.

"Em termos da carreira de Crepúsculo era como um cobertor de segurança", Pattinson continua. Então ele franze a testa por um momento e se corrige. "Não, nem um cobertor. Uma rede de segurança. Eu tinha um intervalo de três ou quatro meses entre cada um, durante o qual eu poderia fazer um outro trabalho. Mas independente do que eu fizesse, eu sabia que teria um outro filme de Crepúsculo a caminho, o que é teoricamente garantido de se fazer um monte de dinheiro. Então, eu sempre podia me dar ao luxo de falhar."

Agora a rede está desfeita. As estacas foram levantadas. Ele certa vez descreveu que escolhe papéis "incapazes".

"Depois que o último sair, você pode ter dois tipos de falhas - e é melhor que sejam falhas de baixo orçamento, porque se você  falha num grande orçamento você está basicamente acabado neste ambiente."

É uma coisa estranha de se dizer, dadas as circunstâncias. Afinal, ele é o segundo ator mais rico da Grã-Bretanha atrás de Daniel Radcliffe, com uma fortuna de cerca de 32 milhões de libras. Ele é um símbolo sexual internacional, que nunca precisaria trabalhar de novo, mas ele está carregando o peso de um grupo de jovens atores britânicos em Hollywood que inclui Andrew Garfield, Tom Sturridge, Henry Cavill e Alex Pettyfer. Se há alguém que não deve estar nervoso sobre o futuro, é Robert Pattinson. E ainda assim ele fica.

"É diferente para Kristen, por exemplo", continua ele, aquecendo o tema. "Ela não pensa desse jeito de maneira nenhuma, porque ela cresceu gradualmente, fazendo filmes independentes e subindo a escada, enquanto eu estava fazendo filmes cada vez menores na Inglaterra, depois de Harry Potter... ao ponto de eu estar fazendo nove dias de filmagem por, tipo, 20 libras e um pacote de Space Invaders. E então isso aconteceu. Então eu não sou apenas mais um ator que está por aí atuando. Quando você me contratar para um emprego, você está contratando... "

O cara de Crepúsculo?

"Isso. Sou agora esta "coisa "que deve ser alguma coisa. E se você, em seguida, não cumpre com essa expectativa, o que diabos você é?"

É uma pergunta justa. Em alguns aspectos, ele é apenas um garoto de classe média, agradável, que vem de uma casa vagamente boêmia em Barnes, oeste de Londres. Seu pai importava carros antigos da América e sua mãe era uma olheiro de uma agência de modelos. Ele tinha duas irmãs mais velhas, que o vestiam como uma boneca e chamavam-o de Claudia (Pattinson sempre foi assunto para a loucura das meninas). Ele começou como modelo aos 12 anos de idade, colocando as maçãs do rosto em uso - logo depois que ele foi expulso da escola por matar aula. Mas Pattinson nunca havia pensado em atuar naquela época. Sua paixão era a música, e ainda é. Estas cenas de Crepúsculo, onde ele está tocando o piano? Nelas são realmente as mãos de Pattinson.

Em seguida, seu pai o convenceu a se juntar a sociedade de dramaturgos amadores locais. A agente de elenco o viu em uma produção de Tess of the D'Ubervilles, e em pouco tempo ele estava fazendo testes como o filho de Reese Witherspoon em Feira das Vaidades (as cenas nunca foram para o filme). Pattinson, no entanto, queria terminar a escola e ir para a universidade para fazer uma licenciatura em relações internacionais - ele brincou com a idéia de se tornar um redator de discursos políticos - até que ele conseguiu o papel de Cedrico Diggory em Harry Potter e o Cálice de Fogo, que saiu em 2005.

Foi uma grande estreia em uma franquia de filmes global, mas mesmo que ele tenha brilhado no papel, ele não abriu caminho para coisas melhores: as peças que lhes foram oferecidas depois eram menores, sua carreira andava para trás. Havia alguns filmes independentes e algumas pequenas séries feitas para a TV - um piloto de guerra em estado de choque em The Haunted Airman e um músico deprimido em How To Be,  sem mencionar um abismal veículo de Catherine Tate, no qual o futuro Homem Mais Sexy do Cosmos tentou se passar por um nerd de óculos fundo de garrafa e piscina.

Naquela época Pattinson estava morando com um amigo no Soho, e uma carreira na música começou a parecer mais provável. Ele tinha uma banda de rock chamada Bad Girls, em seguida, começou a tocar shows de solo de violão sob o nome artístico Bobby Dupea. Quando ele voou para Los Angeles, Hollywood para uma filmagem, ele passava os dias tocando música em bares ou ia ao cinema; sua agente, Stephanie Ritz, o deixava dormir em seu sofá. Ele se sentiu mal por Ritz o ter representado por três anos, embora ele nunca tenha conseguido passar um teste. Em seguida, o papel de Edward Cullen surgiu. A diretora Catherine Hardwicke estava tendo dificuldade para preencher o papel. Ela tinha tentado Orlando Bloom e Hayden Christiansen. Ela gostava de Henry Cavill para o papel, mas parecia muito velho. Ela fez o teste com 5.000 meninos para o papel antes de Pattinson.

"O teste foi na casa de Catherine, em Veneza", ele lembra do momento que iria mudar sua vida, e seu estilo de vida, para sempre - que envolveu atuar na cama de Catherine com Kristen, para ver se tinham alguma química. "Era eu, ela e Kristen, e sua assistente filmando aquilo. Eu era o último do dia e eu estava lá por quatro horas, que foi mais do que ninguém antes de mim. Então, eu meio que sabia. Eu pensava: "Hmmm, algo aconteceu."

"E foi a primeira vez que eu enviei um e-mail mais tarde, também. Tipo:"..Eu tive uma experiência muito grande na audição 'Você sabe, puxar o saco do diretor. Eu sempre pensei que era, tipo, a coisa mais patética a se fazer. Mas funcionou!"

Aparentemente, ele tinha o fator-X que Hardwicke estava procurando: na medida em que Pattinson estava sabia, que o X representava Xanax. "Eu nunca tinha tomado Xanax antes", diz ele, parecendo culpado por um momento. "Mas eu comecei a ficar tão paranóico sobre bagunçar os testes o tempo todo que eu realmente os bagunçava. Por isso, tomei uma metade de Xanax. E caiu muito bem, então quando eu tive que ir ao encontro dos produtores Pensei: Eu só vou tomar outro Xanax"! Ele ri e balança a cadeira. "E então eu fui e quase cai no sono."

Os produtores não ficaram impressionados. Eles pensaram Pattinson parecia desalinhado e muito velho para o papel. Mas Hardwicke pediu e saiu para outra reunião - desta vez sem os produtos farmacêuticos.

"Fiz a barba, umas 50 vezes antes de aparecer", diz Pattinson. "Quis ficar limpo e arrumado, vestindo uma camisa de gola branca. Era quase como não ser. Nem uma única pessoa me queria naquela coisa, só Catherine e Kristen."

Ele disse que esperava que Crepúsculo fosse um filme independente "realmente sério" - "Eu não tinha idéia que ia ser essa coisa grande que faz você querer ganhar chapéus no Burger King" - e, assim como teve a aclamação da massa, houve também seus críticos. (A citação atribuída a Stephen King expressa melhor: "Harry Potter é sobre enfrentar os medos, encontrando forças e fazendo o que é certo em face da adversidade. Crepúsculo é sobre o quão importante é se ter um namorado..") Mas você suspeita que Pattinson tenha reconhecido os limites de Crepúsculo há muito tempo. O diretor de Amanhecer, Bill Condon, descreve-o como super inteligente: .."Essa é a primeira coisa que nota. Ele é muito atencioso e analítico. E ele é um cineasta, você sabe que ele ama um monte de gêneros e atores, e então parece que ele não pode esperar para ir explorar."

Sua escolha de papéis no ano passado confirma isso. Em maio ele estrelou no romance da era da depressão, Água para Elefantes, como um veterinário arrojado que se junta a um circo depois que seus pais morrem. No ano que vem ele vai aparecer em uma adaptação de Guy de Maupassant, Bel Ami, que vai envolvê-lo sendo um cara bem ruim que dormirá com Christina Ricci, Uma Thurman e Kristin Scott Thomas. E depois há a adaptação de David Cronenberg, Don DeLillo do romance Cosmopolis, uma história sobre um bilionário de Manhattan que perde sua fortuna em um único dia. Ele descreveu o script como "insano e difícil", o elenco inclui Samantha Morton, Paul Giamatti e Juliette Binoche. É o grande campeonato, por qualquer padrão. E mais a escolha de um ator que procura um desafio do que um menino bonito procurando um porto seguro.

"Eu acho que ele fez escolhas muito inteligentes", diz o produtor Wyck Godfrey, de Crepúsculo. "Ele tem um profundo desejo de ganhar o status que ele tem, e esses filmes, ambos, têm diretores fortes e material de qualidade. Eu acho que fala mais sobre quem Rob é do que a série Crepúsculo, porque ele vem de um fundo literário. Ele até leu o conjunto de leitura Molière."

Godfrey também tem visto o lado "astuto e determinado" de Pattinson. Durante uma semana tipicamente enlouquecida teve que filmar em dois dias em Água para Elefantes antes do Globo de Ouro e depois voltar para as filmagens de Crepúsculo. O problema era que o cabelo dele precisava ser muito mais curto para Água para Elefantes. "Eu disse, você vai precisar de uma peruca [para o filme de 1930]", diz Godfrey. "Você não pode voltar com o cabelo completamente diferente e tanto que  sua agente e ele disseram:"..OK, eu entendo". Mas aí ele já tinha cortado e quando ele me viu, ele disse:. "Oh meu Deus, eu não sei o que aconteceu 'Foi muito irritante, mas isso fala sobre o tipo de dedicação que ele traz para os filmes que ele trabalha."

Ele inspira afeto e admiração entre os colegas, que ficam maravilhados com a maneira como ele lida com seu estrelato repentino. "Ele vem para definir sem expectativas ou atitude", disse Ricci após a filmagem de Bel Ami, "nenhuma dessas coisas que você se preocupe alguém do seu nível de fama vai ter." Michael Sheen, que estrela com ele nos filmes Crepúsculo, tem dito que ele "parece ter uma boa cabeça em seus ombros".

Pattinson sempre disse que admira a carreira de Leonardo DiCaprio - e ele mesmo pediu para DiCaprio o aconselhar sobre a longevidade da carreira. No Four Seasons, seus olhos permanecem fixos no horizonte. "Se eu decidir um dia parar de atuar, eu simplesmente odeio a idéia de pessoas que vão dizer: 'Oh, você nunca fez qualquer outra coisa além dessa coisa de Crepúsculo?'"

Fonte: guardian.co.uk

Powered by CuteNews