Robert Pattinson está feliz que Amanhecer volta ao foco do primeiro filme de Crepúsculo

Traduzido/Publicado por Ana Flavia Oliveira em 07 Nov 2011


Quando conheci Robert Pattinson pela primeira vez, foi numa cidadezinha perto de Portland, Oregon, em uma noite escura durante a produção do primeiro filme “Crepúsculo”. Não muitas pessoas sabiam que a criação de Stephenie Meyer iria pegar o mundo de surpresa mais tarde naquele ano, e Robert Pattinson e suas co-estrelas Kristen Stewart e Taylor Lautner eram apenas desconhecidos entre pequenos círculos de fãs de Harry Potter e David Fincher. O que eu mais me lembro daqueles 45 minutos, no entanto, foi de conversar do lado de fora do trailer de Pattinson e como ele ficava comentando durante toda a entrevista sobre seus outros planos caso essa ‘coisa de atuar’ não desse certo: voltar para Londres e focar em sua carreira musical. As coisas obviamente deram certo e o iTunes continua esperando pelo cd de lançamento do britânico de 25 anos de idade.

Durante esses anos, eu entrevistei Robert inúmeras vezes, e o vi se submeter dolorosamente a perguntas idiotas em convenções de imprensa e por moças histéricas na Comic-Con. Verdadeiramente, ele nunca me pareceu tão relaxado quanto naquela noite no set até esta sexta feira quando ele sentou para conversar sobre seu penúltimo filme como o bondoso vampiro Edward Cullen na Saga Crepúsculo, “Amanhecer Parte 1”. Eu deveria estar relembrando sua incrível jornada quando o perguntei se alguma vez ele parou pra pensar sobre como ele chegou a esse nível de estrelato.

“Sim, eu olho para trás o tempo todo e tento descobrir como isso aconteceu,” Pattinson conta rindo. “Eu não faço idéia, é louco. Eu sabia que quando nós fizemos o primeiro filme – eu não fazia idéia. Eu senti que quando nós fizemos o primeiro filme que ele era diferente de tudo que existia por aí, então seria enorme ou um completo nada. Então, eu acho que foi enorme.”

Definitivamente foi. A franquia já lançou duas sequências e arrecadou $1.8 bilhões até agora, fazendo dessa uma das maiores franquias do século XXI. É claro que esse número irá aumentar quando “Amanhecer Parte 1” e “Parte 2” chegarem aos cinemas esse ano e daqui a um ano. Summit Entertainment, que basicamente se construiu na franquia, decidiu dividir o romance de Meyer em dois filmes, e isso significou um processo muito longo de filmagens. Pattinson admitiu que o processo das filmagens foi mais difícil do que ele achou que fosse ser.

“Eu não apareço em cada cena do filme, mas você trabalha todos os dias da mesma forma,” Pattinson diz. “Sempre tem algo acontecendo. Havia três unidades filmando ao mesmo tempo. Foi muito louco, mas eu acho que os dois filmes são tão próximos um do outro que seria estranho se nós filmássemos com qualquer tipo de espaço de tempo entre eles, então de certa forma foi bom.”

E já tendo visto o quarto filme, Pattinson está satisfeito com o resultado. Ele comenta, “eu gosto do foco que eles dão, porque o último foi meio que mais objetivo e na verdade não era pra ser. Eu sinto que esse voltou um pouco para o foco do primeiro filme, que sempre foi o meu favorito de todos eles. Eu acho que é com isso que eu estou mais satisfeito.”

Por fim, eu tive que perguntar a Pattinson como foi sua rápida viagem com a equipe e Stewart para o Rio de Janeiro, no Brasil, onde seus personagens, Edward e Bella, passam a lua de mel.

“Nós ficamos na cidade por apenas um dia e foi insano, mas quando nós fomos para o interior, foi incrível,” Pattinson conta se alegrando. “Nós fomos trabalhar num barco todo dia. Foi louco. No primeiro dia que chegamos lá, tivemos folga, e foi lindo, tempo lindo, exatamente como deveria ser no filme, e assim que nós começamos a filmar, começou a chover muito, com direito a ventos fortes. Então, sim, nós poderíamos ter basicamente filmado aquilo numa das praias de Vancouver.” [risos]

Verdade, mas onde fica a aventura nisso? Continue aproveitando a jornada, Sr. Pattinson. Você ainda vai durar muito por aqui.

Fonte: hitfix.com


Powered by CuteNews