Tradução da revista Cineplex

Traduzido/Publicado por Deia Almeida em 28 Oct 2012


Robert Pattinson estava esperando que sua vida mudasse esse ano — mas não como viu sua vida mudar tão drasticamente como foi, é claro. Com a estreia nesse mês do último e quinto filme da saga “Crepúsculo”, “Amanhecer— Parte 2”, o ator britânico de 26 anos esperava por uma pausa dos fãs eufóricos e dos fotógrafos de plantão, os quais fizeram com que Robert medisse todos os passos e ações em públicos pelos últimos 4 anos. E por conta disso, essa fama toda trazida com o papel do vampiro “Edward Cullen”, provavelmente diminuirá.

Mas desde que terminou o seu romance — e sua provável reconciliação— com sua companheira de elenco e namorada na vida real, Kristen Stewart, no início desse ano a vida de Robert Pattinson tem sido alvo constante intenso de especulações, cada vez mais direcionadas à sua vida pessoal, desde tabloides à fãs, de maneira mais intensa. Falando da vida dos astros de “Beverly Hills”, antes do caso do “affaire” entre Kristen Stweart e o diretor de “Branca de Neve e o Caçador”, Rupert Sanders (diretor era casado), o Robert que desconhecia desses fatos, apenas se preocupava com sua carreira, que rumo ela teria após o fim dos filmes da franquia, a qual o torno uma galã a nível internacional. Ao invés de expor um sentimento de alívio pelo fim da saga, ele expressa um sentimento de ambivalência sobre o término, de uma maneira muito intensa, demonstrando sua tristeza.

“Eu sinto como se fosse o fim de uma fase na minha vida que esteja acabando”, disse o ator de maneira, como sempre, cordial e com seu cabelo estranhamente bem penteado, Robert Pattinson. “A saga ‘Crepúsculo’ ainda faz parte de mim. Mas, a parte boa é que eu vou poder descansar disso tudo por um tempinho. Por exemplo, eu sempre fiz algum outro filme entre os filmes da saga, e agora não vou precisar fazer isso novamente, pois vou poder definir com calma o que irei fazer, sem qualquer tempo pré-determinado, o que ocorria por conta do pequeno tempo entre as gravações dos filmes da saga.”

“Mas também, aquela segurança de que teria um novo filme da saga para fazer no ano seguinte, foi embora,” Robert disse provavelmente ciente do fato de que os outros filmes que não tinham franquia e que ele fez não tiveram tanto sucesso de bilheteria (Lembranças, Bel Ami— O sedutor, Cosmópolis de David Cronenberg,...).

“Então, é uma sensação estranha; eu realmente gostaria de saber como deveria estar me sentindo agora, mas não sei.” Havia uma sensação de incerteza enquanto estavam filmando “Amanhecer” (ambos os filmes: Parte 1 e Parte 2— todos os dois foram filmados simultaneamente, em Louisiana e na Colúmbia Britânica, pelo diretor Bill Condon). Enquanto a primeira parte do filme “Amanhecer” se passava sobre o casamento e a sua consumação entre o vampiro Edward (Robert Pattinson) e a mortal Bella (Kristen), também nos mostra a gravidez estranha, com o parto angustiante de Bella.

Em “Amanhecer - Parte 2”, Bella agora é uma vampira e ao mesmo tempo “mãe” de uma criança que cresce muito rápido... bem, é difícil de se dizer o que realmente é a criança. Mas o que se sabe é que é uma menina, e que os seus orgulhosos pais escolheram o nome de “Renesmee”.  A existência da criança leva os Volturi — o “órgão” máximo internacional que rege os vampiros— a começarem a buscar pela criança para que fosse destruída.

Entretanto, Pattinson disse que as cenas em que atua como pai — ao invés das cenas de confrontos sangrentos entre as mais diversas facções de vampiros e lobisomens, que gira em torno de Renesmee — forma as cenas mais difíceis do último filme da saga.

“Vendo a Bella e o Edward como pais foi algo muito estranho”, disse Robert. “Os vendo cuidando de um bebê, que se torna uma criança a qual cresce até os 11 anos, dentro de um mesmo filme, é uma das coisas mais estranhas que já fiz. Também foi muito estranho fazer o papel de pai. Eu acredito não existir nada que possa ser similar a isso; sempre me deixando muito aterrorizado.”

“Por sorte, Mackenzie Foy, quem faz o papel da filha de Kristen, foi simplesmente maravilhosa na sua atuação. De novo, posso afirmar que é algo que vocês nunca viram antes.”

Pattinson também elogia o diretor Bill Condon, por fazer com que ele e Kristen se sentissem mais presentes, colaborando para com o filme mais do que nunca; e por os deixarem sentirem menos estranhos em relação a essa situação, já que Bill também se sentia assim.

“Quero dizer, eu nunca sequer trabalhei com um diretor que compartilha suas ideias frustradas, que eram descartadas e que por vezes ele não as utilizava.” Disse Pattinson. “Ele ia além de sua zona de conforto para fazer com que eu e a Kristen nos sentíssemos como parte do processo criativo.”

Ao final de tudo, Pattinson está feliz por ter interpretado o vampiro Edward e a vida amorosa bizarra entre seu personagem e Bella (Kristen Stewart), para o mundo inteiro ver. “Eu realmente gostei desse relacionamento entre os personagens,” disse ele. “Você chega ao fundo do poço, já no meio da trama. Depois, você chega ao momento em que eles passam a amar um ao outro de maneira excepcional e tudo passa a ser perfeito. Logo após, você passa a ver os dois tendo o tapete puxado. Você geralmente não vê isso nessa sequência nos filmes.”

“Mas eles nunca estão felizes, normalmente.” Acrescenta ele. Por outro lado, Pattinson de maneira graciosa evita falar em público à respeito de seu dilema amoroso com Kristen Stewart. Após os 4 anos de relacionamento juntos nem havia sido confirmado por eles que eram de fato um casal, quando Kristen pediu desculpas a Robert por sua infidelidade, por meio de sua assessoria. Até o presente momento, parece que o então casal está junto novamente— mas isso baseado em fontes anônimas e relatos de que os móveis da casa em que viviam juntos foram retirados para outra casa. Céticos se perguntam se seria este o caso de mero fato para fazer publicidade para o filme da franquia “Crepúsculo”.

Independentemente disso, uma coisa que o Robert irá sentir falta dos dias de “Crepúsculo” é trabalhar no Canadá, onde foram filmados os 4 últimos filmes da saga, em sua totalidade ou ao menos em partes.
Acredito ser em função do isolamento, como parece.

“A cidade de ‘Squamish’ (Colúmbia Britânica, Canadá- fora de Vancouver) é um ótimo lugar para se filmar,” enfatiza Robert. “É um dos melhores lugares em que trabalhei, porque não tinha ninguém por lá! Você se sente, basicamente, livre para fazer o que bem quiser.” Ou talvez pelo fato de que os canadenses sejam mais “indiferentes”, o que para uma estrela perseguida o tempo todo, pode significar como “boas maneiras”.

“E Toronto é uma das minhas cidades favoritas,” continua Robert, que filmou “Cosmópolis” em Toronto. “Eu me divertia muito em Toronto— e mais porque as pessoas eram do tipo de te deixarem na sua, sozinho. É algo que realmente aprecio no Canadá.”

Fonte | Tradução: Carol Almeida

Powered by CuteNews