Robert e Kristen falam à revista francesa Gold

Traduzido/Publicado por Ana Paula em 10 Nov 2009


Nossa equipe traduziu a entrevista de Robert Pattinson e Kristen Stewart para a Revista Francesa "Gold". Confira abaixo.

G: No livro, mesmo com você deixando a Bella, você está bastante presente nos pensamentos dela. É difícil representar isso na tela? Como você administrou isso?
Rob: no livro, ela ouve a voz do Edward, mas nós utilizamos outro método no filme: ela tem alucinações, aparecimentos efêmeros do Edward. Teria sido um pouco piegas fazer isso apenas com a minha voz.
Kristen: Tudo está na insinuação. É a memória que ela tem dele, não necessariamente como ele realmente é.

G: Edward está bem menos presente nesse filme do que no anterior… O que você fez para assegurar que os fãs não fossem ficar desapontados?
Kristen: Não, não. Você ainda irá vê-lo bastante.
Rob: Eles não ficarão desapontados. Mas se Edward tem que ser deixado um pouco para trás, é para que as pessoas possam sentir falta dele. Esse filme é precisamente sobre o anseio, o vazio e a escuridão completa pela ida do Edward.

G: Com um novo diretor no comando da sequência, vocês se sentiram como se trabalhassem em um filme bastante diferente do primeiro?
Rob: Não foi apenas a mudança de diretor que fez as coisas diferentes dessa vez. Há também o fato de que dessa vez nós conhecíamos a fera, nós sabíamos um pouco mais com o que nós estávamos lidando. Nesse filme eu tenho um papel mais secundário. Eucomecei três semanas depois do início das filmagens e as primeiras cenas que eu gravei foram das alucinações, nas quais eu não digo mais do que duas palavras. Então foi provavelmente um dos trabalhos mais relaxante que eu já tive! Chris tem uma presence bastante tranquila, e eu me sinto muito bem com ele. Ter nenhum stress do trabalho por três meses foi ótimo, foi Taylor quem teve que lidar com a pressão!

G: Houve uma cena no filme que você particularmente gostou mais do que o resto? Se sim, qual?
Rob: Para mim, foi a minha cena de rompimento que foi a minha favorita. Ela tornará o relacionamento deles mais pesado em um sentido, e um pouco mais responsável do que em Crepúsculo. Havia 50 páginas de diálogo nessa cena, foi tão interessante, ela ignora completamente os elementos sobrenaturais da história também, eu acho.

G: Na sua opinião por que muitas pessoas gostam dessa história? É por causa dos temas, dos personagens, o assunto sombrio, a história sentimental?
Rob: Eu acho que nós fomos as últimas pessoas para as quais você devia perguntar. Mas eu não sei. A coisa é que, eu nunca vi a história como uma história de vampiros para começar. Quando eu faço o personagem, eu tento eliminar os elementos vampirescos o máximo possível e não ver isso como uma ferramenta para deixar o relacionamento deles mais intenso. Imediatamente após passer da audição, eu me senti estranhamente investido nessa história quando eu não havia sequer lido os livros antes, e eu fiquei mais e mais ligado. Nas últimas semanas, falando sobre o enredo de Eclipse para amigos, eu percebi que u estava bastante argumentativo, o que não é muito eu. Essa história tem um poder real.

G: Como leitor, qual livro você prefere, e como ator, qual filme você está mais ansioso para trabalhar?
Rob: Eu acho que eu prefiro Lua Nova. Edward é um personagem tão extreme que todos vêem como um herói romântico e de repente, em Lua Nova, pelo menos foi a impressão que eu tive enquanto lia, ele recebe uma lição de humildade. Ele diz que a ama muito para ficar com ela e deliberadamente destrói o relacionamento deles. Eu acho que isso é bastante doloroso, com o qual eu não consigo me identificar. E depois há a cena de luta no final, durante a qual finalmente Bella salva Edward. É engraçado que o mundo todo o veja como o herói enquanto é sistematicamente a donzela em perigo que o salva.

G: O quanto a sua vida mudou desde o ultimo verão?
Rob: Eu acho que a minha vida não mudou tanto assim. Eu também não acho que eu mudei tanto assim. Eu estou andando bastante com a minha cabeça abaixada durante esses dias, eu imagino se terei problemas no pescoço em breve! (risos) Não, é meio que extraordinário e eu acho que nenhum de nós esperava isso, especialmente já que a amplitude da franquia continua crescendo. Nós percebos isso primeiramente na Comic Con do ano passado e ficou maior e maior depois dela. É interessante ser confrontado com isso.

Tradução: Iana Louise 

Powered by CuteNews