Entrevista do Robert Pattinson para a Moviefone

Traduzido/Publicado por Bruna em 02 Jan 2010


Quando nós conversamos com Robert Pattinson sobre o seu filme biográfico “Little Ashes”, nós primeiramente lançamos correndo sobre alguns boatos da internet sobre a estrela de “Crepúsculo.” Agora, nós temos o prazer de apresentar a parte 2, o restante da nossa entrevista alegre e sincera. O ator notavelmente generoso brincou junto, respondendo as nossas perguntas:
– sobre fazer um filme independente, tirar a roupa para cenas de nudez, filmar “Lua Nova”
– com uma dose refrescante de sinceridade e ausência total de atitudes de estrelas. Após conversarmos com Pattinson, nós não temos nenhum enjôo em prometer nossa fidelidade ao Team Edward. 

– Por Angie Argabrite

1. Como foi filmar “Little Ashes,” que foi uma produção tão pequena, comparado a fazer os filmes de “Crepúsculo”?

Eu meio que gosto de produções pequenas porque não há muita espera ao redor delas. E é estranho, há pequenas coisas em “Little Ashes,” como nós não tínhamos camarins, nós nos sentávamos ou ficávamos em pé pelo set, o que eu achava inicialmente um pouco bizarro, mas após um tempo é ótimo, porque você pode apenas permanecer no personagem o tempo todo. E você também pode fazer mais parte dos bastidores da cena, então eu meio que gostei disso. Eu não sei, foi, eu diria, uma energia bastante diferente. [Mas] não é uma grande diferença, na verdade. De qualquer maneira, você está apenas dentro da sua cabeça o tempo todo, então você não nota as coisas realmente.

 2. Eu li que você estava bastante nervoso sobre quanto a filmar as cenas explícitas e as de nudez, como você se preparou para elas?

[Risos] Eu tive tantas respostas ridículas vindo até a minha cabeça. [mais risos]. Eu fiz um implante de pênis! Eu não sei, eu apenas meio que, é engraçado porque as pessoas espanholas são tão... não têm o menor problema com a nudez, eu quero dizer, nenhum mesmo, e os ingleses obviamente têm,digamos, o maior problema com isso. É como pequenas coisas, como quando eu vi o meu pai se trocando para nadar, eu fiquei tipo, traumatizado por isso... Eu não sei realmente o que eu fiz, eu apenas meio que surtei um pouco. [Risos]

3. Então essa foi a coisa mais difícil em filmar esse filme?

Não, eu quero dizer, boa parte dele foi bastante difícil. Eu acho que, em várias maneiras, quanto mais eu lia sobre Dali, mais eu gostava dele, e gostava do que ele tentou fazer para se representar. Eu acho que a coisa mais difícil  foi que eu não queria desrespeitar a memória dele, especialmente quando eu encontrei com várias pessoas que ele conhecia e essas coisas. As pessoas eram muito, muito carinhosas com ele, então essa foi provavelmente a parte mais difícil. [risos] Eu não queria estragar tudo!

4. Você estava fazendo uma pessoa de verdade – como isso afetou a sua preparação? Você estudou bastante sobre Dali?

Sim, eu quero dizer, é legal. Há certas coisas como estudar fotos. Eu nunca me concentrei em meu corpo em uma performance antes, não a tal ponto, e havia toneladas e toneladas de fotos dele e ele tinha uma postura meio estranha... Há uma foto em que ele está apontando para alguma coisa, e eu acho que ela é bem legal, e eu estava tentando entender “Como você aponta assim?” Então você percebe “Oh, merda. Você pega o seu braço e ohhh...” e de repente se encaixa no lugar. E depois quando você percebe que você está andando da maneira correta e essas coisas e as pessoas – pessoas espanholas! – percebem quem você está interpretando, sem o bigode, eles sabem imediatamente apenas por olhar em seus olhos, é bastante satisfatório. Eu gosto dessa ideia; eu gostaria de fazer novamente. E eu sou sempre um pouco atraído a interpretar pessoas reais.

5. Kristen Stewart irá fazer o ícone do rock Joan Jett. Há um ícone do rock que você gostaria de fazer?

Eu adoraria fazer Van Morrison, mas eu duvido que eu conseguisse o papel [risos].

6. Com quem você adoraria fazer uma turnê, se você fosse fazer uma como um músico?
Eu gostaria de fazer uma turnê com o Kings Of Leon. Eu os acho bastante legais.

7. Se você não pudesse ser um ator ou músico, o que você acha que estaria fazendo?

Eu gostaria muito de ser um estrategista político e como um spin doctor*. [Risos] Eu gostaria muito de fazer isso. Eu acho que eu acabarei fazendo isso em um ponto. *Spin doctor (termo em inglês cuja tradução é doutor em engano, manipulador de opinião) é um especialista em relações públicas e comunicação política , que pode escrever discursos, ser manager de eleições, porta-voz de um partido político, perito em sondagens, ou estar ao serviço de um governo.

8. Você pode falar sobre o filme que você está assinando para fazer, ou está prestes a assinar, chamado “Memoirs” ( Primeiro nome que saiu na mídia sobre esse projeto de Rob que hoje é oficialmente o filme Remeber me)?

 Não está finalizado ainda, mas eu acho que se acontecer será um filme fantástico. É um roteiro incrível. Eu acho que Jenny Lumet [quem está escrevendo o roteiro] é incrível e Allen Coulter [que está dirigindo] também é. Eu acho que poderia ser. Eu estava basnte animado sobre ele. Eu estava trabalhando em Nova York no roteiro há umas semanas atrás, e nós viemos com coisas bastante legais.

9. Como você está lidando com a fama instantânea e massiva e com a loucura?

É bem estressante de certa maneira, mas é apenas quando você está por conta própria. Quando eu tenho os meus amigos ao meu redor não faz a menor diferença. Eu apenas passo bastante tempo sozinho, e eu costumo andar pelo quarteirão sozinho em várias cidades diferentes, e eu não sei, você começa a se sentir um pouco vulnerável, eu acho. [Risos] Bom, não vulnerável.  Eu não sei... para pessoas paranóicas, permite que a sua imaginação corra, então é um pouco estranho. Você acaba saindo muito menos [risos]. Mas eu acho que é tão cedo agora. Eu realmente ainda estou pensando em relação a conseguir bons trabalhos e essas coisas, então eu ainda não tive uma chance para ser objetivo em minha vida, porque a cada dia há uma coisa nova acontecendo na minha vida. Ao meu ver, tudo apenas parece tão ridículo, como todo santo dia é você está andando na rua, e então de repente você pisa em algo e apenas começa a se mover muito, muito rápido, e você não está totalmente certo quanto a que direção está indo, mas você pode sentir a força disso. É isso que se trata.

10. Qual foi a sua experiência de fã mais louca?

Houve uma meio que estranha. Eu estava na Blockbuster outro dia, e eu não havia percebido que era o dia em que o DVD [de “Crepúsculo”] estava sendo lançado, e havia essas duas – ninguém havia me reconhecido naquele lugar – e havia essas duas garotas de oito anos que apareceram com os seus pais. Elas estavam pegando os seus DVD’s pré-encomendados, e elas estavam se balançando e chorando apenas porque pegaram o DVD delas. Eu pensei que era bastante incrível, eu não havia visto nada assim antes... eu quero dizer, eu já vi quando é pessoalmente, quando me encontram. Mas apenas pegar um DVD, isso foi meio louco.

11.  Qual foi a sua atitude no drama de escalar o Jacob?

Quando era possível que Taylor Lautner não fosse conseguir o papel. Foi estranho. Quando eu voltei, eu não o havia visto há décadas, não o havia visto desde o verão e quando eu o vi, eu o havia visto apenas antes dele ser escalado, e ele ganhou, tipo, 46kg! Eu fiquei “Jesus Cristo! Se ele não conseguir, é ridículo.” Mas o que vocês irão fazer? Havia um vídeo dele no set outro dia fazendo todos esses tipos de acrobacias de luta. Aquele jovem é incrível; ele é um dos atletas mais deslumbrantes que eu já vi em minha vida. Eu não sei. Eu acho que será interessante. Eu não vi ainda nada das coisas dele, mas todo mundo está enlouquecendo um pouco por ele.

12. Como é a energia de “Lua Nova” comparada a de “Crepúsculo”, porque para “Crepúsculo” ninguém tinha certeza se iria se sair bem e agora, obviamente...

Sim, é assustador. É uma experiência muito, muito diferente. Da última vez nós estávamos apenas meio que... era tão fácil reunir o elenco inteiro. Nós todos jantávamos quase todos os dias e éramos capazes de conversar livremente. Agora é difícil até mesmo deixar o hotel. E todas essas historinhas casuais se tornaram de alguma maneira, algo que merece ser publicado, então você tem que ser bastante secreto a respeito de tudo. Até mesmo se você quer apenas esclarecer algo no roteiro ou alguma coisa assim. É apenas estranho. É apenas muito diferente...  É muito estranho quando você está consciente de estar sendo observado, eu acho.

13. Isso é semelhante a quando você estava filmando “Potter”?

Oh, não, não mesmo.  Quanto a “Potter,” porque todos eram tão jovens, não havia realmente nenhuma história [de fofocas]. E ainda, a maneira em que estávamos gravando, era tão impossível de conseguir qualquer foto ou qualquer coisa. Era tão, tão privado. E com o tempo em que eu estava trabalhando nele, todos trabalhando lá haviam trabalhado por cinco ou seis anos de qualquer maneira, então todos eles se conheciam. Então nada realmente merecia ser publicado. Não havia muita coisa acontecendo. Parece que nos [filmes de “Crepúsculo”] talvez porque eles são um pouco mais velhos, parece que todo santo dia há uma nova história surgindo. Eu também acho que é porque todos esses blogs se tornaram muito mais populares nos últimos anos do que eles eram antes. E eu acho que é onde a maioria dos fofoqueiros vão.

14. Você faria um nu frontal total como Daniel Radcliffe fez?

Eu acho que dependeria de para que seria. Sim, realmente depende de para que é. E eu não acho que bastante pessoas iriam querer ver isso. Eu acho que arruinaria a ilusão. [risos]


Tradução: Iana Louise

Powered by CuteNews