Cronenberg trasforma o vampiro sedutor de Crepúsculo em um homem de Wall Street

Traduzido/Publicado por Bruna em 19 Feb 2011


Robert Pattinson está prestes a entrar em um novo tipo de Twilight Zone, graças ao David Cronenberg. Foi anunciado hoje por um cineasta canadense que o vampiro sedutor ganhará uma nova faceta – será um multimilionário gestor de um fundo de ações em Manhattam, que perde sua fortuna quando aposta contra a sobrevivência da economia mundial. 



O filme é Cosmopolis, uma produção Canadá – França baseado no romance americano de 2003 do escritor Don Delillo. Pattinson irá contracenar com Paul Giamatti, Juliete Binoche, e Matheu Amalric. Cronenberg parece estar em um rolo.

Depois do sucesso de The History of Violence (2005) e Eastern Promises (2007), indicado ao Oscar duas duas vezes, ele tem sido cada vez mais aceito pelo público sem comprometer sua visão singular. Recentemente ele terminou A Dangerous Method, em co-produção com a Alemanha, sobre Freud e Jung, estrelado por Viggo Mortensen (terceiro papel com o diretor) – este filme  irá estrear no outono, após o festival de Cannes, Venice ou TIFF. É sempre um bom sinal quando um cineasta tem um outro filme em produção, antes mesmo do seu último trabalho chegar ao cinemas.

Fazer parte de uma produção de Cronenberg é uma ótima oportunidade para Pattinson, que precisa dar um salto de ídolo de filmes da sessão vespertina como Crepúsculo para papéis mais maduros. O seu dilema não é tão diferente quanto o dos atores adolescentes que estão crescendo e precisam interpretar papéis mais maduros. Em seu último filme não- vampiro, o romance Remember Me, Pattinson mostrou ser um ator sério, mas o filme foi um fracasso. Cronenberg é sempre uma ato de classe (ao contrário de sua imagem de um cara do terror).

Colin Farrel é quem estava cotado para o papel de Pattinson, mas ele optou por participar do remake de Total Recall. E  as candidatas à liderança feminina eram Marion Cotillard e Keira Knightley, que estrelou A Dangerous Method. Cronenberg escreveu o roteiro de Cosmopolis, descrevendo-o como um “thriller.” Assim como outras de suas adaptações- Naked Lunch, Dead Ringers e Crash – ele trabalha com sua própria visão sem deixar a fonte original de lado, mas não espere ver uma tradução literal do trabalho de Delillo.

Eu não li o livro, mas parece que tem muitos elementos clássicos de Cronenberg, incluindo alguns vislumbres de Crash. Abaixo está o resumo da história que encontrei na Wikipédia.

“Cosmopolis é a história de Eric Packer, 28,  um multibilionário que vive uma odisséia pelo centro de Manhattan, a partir do momento que sai de casa para cortar o cabelo. A limusine que adorna a capa do livro é descrita como moderna e luxuosa, com televisão e computadores, revestida com mármore de Carrara. Também é coberta com cortiça para eliminar o barulho da rua (mas Packer observa que isto não funciona).”

Como Ulisses de James Joyce, Cosmopolis se passa em apenas um dia e inclui mulheres atraentes e relacionamento distante entre pai e filho. O caminho de Packer é obstruído várias vezes por uma visita presidencial, o funeral de um rapper, ou seja um tumulto completo. Ao longo do caminho, o herói tem vários encontros casuais com sua esposa, ele a vê em um táxi,  em uma livraria, e deitada nua na rua, participando de um filme como um extra.

Enquanto isso, Packer é perseguida por dois homens. Com o curso do dia, o protagonista perde uma incrível quantia de dinheiro do seus clientes, apostando contra a subida do iene, uma perda que se assemelha a sua própria queda. Packer parece   aliviado ao perder seu dinheiro, mesmo quando tem certeza que também perdeu a fortuna de sua esposa, sua ruína se torna inevitável.

 Fonte|Tradução: Andressa

Powered by CuteNews