Guillermo Navarro fala sobre Amanhecer

Traduzido/Publicado por AccioDani em 26 Feb 2011


Quando o diretor de fotografia Guillermo Navarro ganhou o Oscar em 2006 pelo seu trabalho no filme de fantasia negra O labirinto de Fauno, foi apenas a segunda vez na história das premiações que um filme de língua estrangeira legendado em inglês ganhou tal distinção.

Seus próximos trabalhos serão os dois últimos filmes de A Saga Crepúsculo – Amanhecer. Já que você não estava envolvido nos três primeiros filmes, como é entrar nesse trabalho como o cara novo? Você quer criar um universo paralelo, partindo do zero como você já tinha falado ou você se sente limitado por ser um trabalho que já existia antes de você fazer parte da equipe e pelos fãs da série já terem sua próprias expectativas?

Não, eu não me sinto limitado por isso. O livro por si só permite permite coisas novas e eu estou seguindo isso. Eu realmente não posso discutir muito sobre isso, eu vi uma grande oportunidade que propicia contribuições fortes nisso.

Quando um espectador assiste ao filme ele irá notar elementos óbvios como atuações, efeitos especiais, e talvez o diálogo. Você acha que a maioria dos espectadores entende o que é fotografia em um filme? Você acha que atualmente mais pessoas apreciam a contribuição da fotografia para o filme do que há 40 anos quando você começou sua carreira?

Eu acho que o público aprecia a cinematografia de um filme. Não é necessário que eles saibam identificar as coisas e dizer, “Oh, isso é tal coisa,” mas uma boa cinematografia permite que eles leiam o filme. A cinematografia é a linguagem do filme. Eles não precisam necessariamente entender a cinematografia, eles a perceberão à sua maneira ao longo do filme. Eu acho que o público atual é mais sofisticado e consciente do processo, mas se o filme dá certo e é coerente significa que a cinematografia já fez o seu trabalho.

 

Fonte: San Antonio Current| Via: Twi Fans | Tradução: Andressa


Powered by CuteNews